Bora minimalizar?

Por | 16 de janeiro de 2018
capa

Não sei se esse verbo existe, mas ele mudou algo em mim…

Toda história começa em algum ponto, e nesse caso, foi quando entraram na minha casa. Sim, um roubo. Não levaram muita coisa, sabe. Mas, foi o suficiente para dar um tapa na minha cara e despertar alguns pontos que me deixava completamente estagnada.

A partir desse [e de outros] fato, comecei a olhar a vida de uma outra forma e quando me dei conta, tibum!

UnfitOddDugong-size_restricted

Não me considero viciada em compras ou coisa do tipo. Entretanto, gasto com produtos bem aleatórios e muitas das vezes, desnecessários. E foi por isso que resolvi abrir meus olhos e analisar a minha relação com o consumismo… Adivinha? Levei um baita susto.

Começando pelas agendas: eram 5, sendo que uma estava guardada por mais de dez anos com a desculpa de ”vou usar em um momento especial”.

Além dos pinceis de maquiagem. Senhor! Nada contra quem tem vários objetos similares, mas quando vi que não usava nem a metade daquele material foi que a coisa ficou séria. [sem contar as demais bodegas que tirei da minha vida].

Acredito nessas questões de energias. Pra mim, se as coisas não giram, acabam te prendendo de alguma forma. São ciclos.

Não sei se vou levar a risca o estilo de vida minimalista [ahhh, super recomendo ”Minimalismo: um documentário sobre as coisas importante” – tá na senhora Netflix], mas entrei em uma vibes de menos é mais e isso tem me presenteado com uma deliciosa sensação de leveza.

anigif_enhanced-4627-1443728379-11

Por isso, ”ame as pessoas e use as coisas porque o oposto nunca dá certo” – Joshua [The Minimalists]

Aquele link maroto de uma pessoa que falou sobre esse documentário:  https://vidaorganizada.com/2017/06/06/documentario-minimalism/

Flavy Medeiros
Flavy Medeiros

Morena e toda trabalhada na ansiedade, essa aquariana tem o pensamento estacionado na década de 90. Louca por chocolate, não vive sem um pedacinho dessa tentação. Tem uma mente super agitada. Mas no fundo, garanto que você vai entender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *